Presente do Governo Brasileiro para a sede da ONU, os painéis Guerra e Paz foram encomendados no final de 1952 a Cândido Portinari.

Em Nova York, os painéis foram instalados em 1957 no hall de entrada da Assembleia Geral, em área de máxima segurança e acesso restrito, só podendo ser vistos por funcionários da ONU e delegados dos países-membros.

Por esse motivo, o Projeto Portinari sempre sonhou expor Guerra e Paz ao grande público.

A pedido do Ministério das Relações Exteriores, em 2010, a ONU entregou a guarda dos painéis Guerra e Paz ao Projeto Portinari até 2014.

Durante esse período foram realizadas itinerâncias da exposição e o Estúdio Preto e Branco participou nas cidades de São Paulo, Belo Horizonte e Paris.

Cada itinerância teve projetos customizados devido as diferentes sedes.

Em São Paulo, para a abertura da exposição foi desenvolvido um videocenário de palco para os músicos e artistas se apresentarem no Auditório Simón Bolívar.

Para o Memorial da América Latina, foi desenvolvida uma projeção monumental de 13 metros de altura que formava um grande tríptico junto aos painéis Guerra e Paz. A narrativa, que apresentava textos de Carlos Drummond de Andrade, Milton Nascimento e Fernando Brant, foi complementada com iluminação cênica sincronizada ao vídeo que indicava os universos pictóricos nos próprios painéis.

Tambéms foram exibidos videos documentários sobre o “Projeto Guerra & Paz” e o “Carroussel Raisonné”, um video panorâmico de 15 metros de largura que apresentava na ordem cronológica as 4.991 obras do pintor projetadas num parede de concreto com duração total de mais de 9 horas ininterruptas.

Em Belo Horizonte, para a apreciação dos painéis Guerra e Paz, o Grande Teatro transformou-se em um “cinema” que após a exibição do audiovisual, os painéis eram revelados para o público. Também foram exibidos documentários exclusivos sobre a exposição, o “Carroussel Raisonné” e mais duas peças interativas, a “Linha do Tempo” formada por 5 totens integrados e a mesa interativa “Tempo Portinari”, que apresentava a relação do pintor com grandes nomes da intelectualidade.

No Grand Palais, em Paris, foram exibidos o audiovisual Guerra e Paz no formato tríptico, a “Linha do Tempo” e o “Carroussel Raisonné”.

Para saber mais acesse nossos relatórios:

:: Guerra e Paz, de Portinari – São Paulo

:: Guerra e Paz, de Portinari – Belo Horizonte

:: Guerre et Paix, de Portinari – Paris


Compartilhe: